Blog

Dor e desconforto muscular? A osteopatia pode ajudar

A osteopatia é um meio de cuidar da saúde, sem utilizar medicamentos ou cirurgias. Esse meio de cura de patologias se dá através de palpação e toques em locais específicos – articulações, músculos, fáscias, etc – para o alívio de cada sintoma. Foi criado pelo médico Andrew Taylor Still, no fim do século XIX. Partiu da observação e do estudo da relação entre as doenças e os seus efeitos colaterais no corpo. O seu criador partiu do pré suposto de que o corpo tem capacidade de se regenerar, se não tiver nada impedindo o seu bom funcionamento.

Além de não usar medicamentos, podemos citar como diferencial da osteopatia o seu relacionamento com o paciente que recebe o tratamento. Seguindo o sentindo inverso do modelo biomédico, onde é visto apenas a doença e não o paciente como um todo. Esse modelo tem como centro o paciente, observando que cada paciente tem um jeito singular e que a forma como cada corpo reage ao tratamento é diferente.

Esta prática é segura e recomendada pela Organização Mundial de Saúde como uma prática de saúde, sendo concreta nos seus resultados. Essa técnica enxerga o paciente como um todo, não como a patologia, apenas. Tendo uma visão holística – que enxerga a globalidade do funcionamento anatômico e mental do ser.

Dor e desconforto muscular

Tipos de Osteopatia

Existem quatro tipos de osteopatia. A postural, estrutural, visceral e craniana. Vamos diferencia-las.

• Osteopatia postural:
Este tipo de tratamento tem como principal área de estudo a postura e equilíbrio, partindo de informações dos pés, olhos, ouvido interno e etc. É possível que tenhamos desajustes no equilíbrio graças aos canais semicirculares – localizados no interior na orelha interna-, ao mau posicionamento dos pés, a baixa visão, entre outros motivos.

Essa vertente da osteopatia pode avaliar o sensores de movimentação do corpo e corrigir os erros, afim de melhorar a movimentação.

• Osteopatia estrutural:
Nessa modalidade o tratamento se dá a partir da biomecânica corporal. O profissional habilitado para essa função domina a anatomia e corrigindo os desconfortos causados por patologias através da manipulação de tecidos, reestabelecendo o equilíbrio do corpo e diminuindo os sintomas.

• Osteopatia visceral:
Essa técnica visa a melhora entre os sistemas do corpo: o visceral, o nervoso e o estrutural. Por muitas vezes o nervosismo toma conta e suas consequências aparecem no corpo através de enjoos, vômitos e até maiores desconfortos. Essa técnica elimina espasmos do reflexo da musculatura visceral (órgãos), liberando as aderências e dando suavidade ao movimento.

• Osteopatia Craniana:
Esta especialidade da osteopatia pode ser usada contra o estresse e seus efeitos colaterais, tendo em vista que sua rota de ação vai do cóccix à osso occipital (base craniana), já que movimentos podem ser detectados nesse intervalo.
Esse processo utiliza a auto cura, sendo papel do terapeuta mostrar o caminho para o corpo.

Quais doenças a Osteopatia trata?

A osteopatia pode tratar patologias espalhadas por todo corpo e de causas variadas. É importante que no início da consulta o paciente seja franco com o osteopata e diga os verdadeiros motivos da patologia da qual está se queixando, pois assim o tratamento vai na “raiz do problema”.

Os problemas mais comuns que acometem os usuários de osteopatia são:

• Dores nas costas – Lombalgias, hérnia de disco;
• Dores no corpo – Em várias regiões que pode ser causadas por traumas ou tensão;
• Dores no ombro e trapézios – que por muitas vezes podem causar dores de cabeça e desconfortos como náuseas;
• Disfunções na postura – Escoliose;
• Algumas lesões no trabalho – pelo fato de estar por várias horas na mesma posição;
• Lesões durante pratica de esportes;
• Reabilitações – pós-acidentes e pós-cirurgias;
• Desconfortos musculares – dores e exaustão dos músculos, assim como tensão e nódulos;

A osteopatia pode tratar patologias e, com a ajuda de uma equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, dentistas, terapeutas naturais e etc., ajudam a tratar efeitos colaterais de outras doenças, como:

• Dores no tora e restrição a movimentação, que são associadas a problemas respiratórios;
• Dores nas costas em gestantes;
• Otite Média;
• Cólicas e desconfortos menstruais;
• Problemas no trato digestivo.

Não existe limite de idade para a aplicação das técnicas da osteopatia, mas existem contraindicações a pessoas com problemas ósseos, por exemplo. É válido sublinharmos que, a cura não é a principal intenção dessa prática, mas sim o bem-estar do paciente ao longo das sessões, aumentando a sua qualidade de vida.

Quais os procedimentos feitos?

Assim como na maioria das consultas em saúde é feito uma análise das queixas do paciente, falando causas, como isso atrapalha o dia-a-dia, fatores emocionais, hormonais e etc. Pode ser usado protocolo de escolha do osteopata para os testes e perguntas feitos. Depois de saber o necessário, pode ser dado início a parte manual.

O osteopata responsável observa a necessidade de cada paciente a partir da sua queixa e assim é escolhida a técnica apropriada, observando também o fator que causou o desconforto.

A duração de cada sessão é de no máximo uma hora e é feita com as mãos do terapeuta, que fazem pressão sobre áreas específicas, a fim de aliviar os sintomas. Após uma sessão, o intervalo para a próxima é de uma semana.

Gostou? Compartilhe

Depoimentos

De quem já confiou em nós

Agende sua consulta

Com profissionais qualificados

*Após agendamento, você será avisado por e-mail sobre
a confirmação da data e horário escolhido.

Top